sexta-feira, 19 de abril de 2013


Cansada Das Mesmas Pessoas


Em nosso dia a dia estamos quase sempre cercadas pelas mesmas pessoas. Seja no trabalho, na escola/faculdade, na nossa casa, nosso bairro, enfim... Estamos sempre rodeados por aqueles que pertencem ao nosso círculo e isso é perfeitamente natural. Porém, não é raro falarmos e ouvirmos o quanto as pessoas estão cansadas umas das outras, e não me refiro do cansaço em relação àqueles que nos querem bem e estão próximos de nós, mas de um cansaço emocional referente aos mesmos tipos de pessoas que habitualmente estamos nos deparando e com cada vez mais frequência.
Pessoas rasas e superficialmente envolventes estão em sobra no mercado. Se estamos numa fila o desrespeito é constante e alguns até usam de malabarismos miraculosos para ultrapassar a vez, no trânsito pouco ou nunca se nota a gentileza das pessoas, se conhecemos alguém é cada vez mais notória a resguarda das pessoas por muita demonstração de afeto e reciprocidade e  se esse “conhecer” for para fins maiores que amizade aí é ainda pior, pois o outro está numa caixinha de vidro, onde pelas brechas só deixará escapar aquilo que não o exponha muito a ponto de perder o controle do jogo ou mesmo só dirá aquilo que for conveniente para ser aceitável.
Parece que nos dias de hoje prevalece a cultura do imensurável “politicamente correto e dizível” e a escolha pela privação máxima de informações.
Até nas redes sociais, lugar onde as pessoas mais se exponhem, a cultura do privado impera soberanamente. Compartilha-se, por exemplo, a comida que se está comendo no momento, a praia maravilhosa que se está visitando ou até mesmo o vestido lindo que acabara de comprar e o presente maravilhoso que foi ganho do namorado... Declarações e mais declarações de amor são feitas todos os dias nas redes sociais, a ponto de fazer  se emocionar até os mais duros corações, mas as mesmas pessoas dessas declarações têm vergonha de expressar pessoalmente seu amor pela família, pelos amigos, pelo Deus que adora(caso o tenha)e pelo seus cônjuges.
Demonstrar sentimentos reais e no cotidiano (que é quando eles são provados) parece ter virado mesmo démodé.
RESUMO DA ÓPERA: Queremos conhecer e manter ao nosso lado pessoas sinceras, entregues e afetuosas, mas estamos fechados para doar afeto de forma completa e distribuir gentileza e entrega de coração.
Que sejamos as pessoas que queremos conhecer, pois do contrário estaremos sempre cansadas das mesmas pessoas e elas, por sua vez, cansadas de nós.